O protesto, a arte e o humor de Banksy

Milhares fizeram fila para ler a placa numa movimentada rodovia inglesa, em Bristol, com a informação: Timbuktu – 2384 milhas / Ashton – 1 milha. Originalmente, o sinal indicava Bedminster – depois do “toque” artístico a destinação ficou bem mais exótica. “Achei educativo: é útil saber a distância daqui até Timbuktu (Tombuctu, em português) e que essa cidade do Mali, na África, fica exatamente na direção sul”, declarou um estudante local.

Trata-se de mais uma intervenção do artista britânico Banksy, adepto da irreverência. Banksy começou a pintar na cidade natal, em Bristol, na Inglaterra.  Depois, desenhou em várias outras partes do mundo. É o caso da pomba da paz exibida em 2007, em uma parede em Belém, lá mesmo onde nasceu Jesus – pertinho da Faixa de Gaza.

Banksy também interveio no muro que Israel construiu na Cisjordânia, em 2005. Como protesto, o artista fez sátiras à vida do outro lado da barreira: paisagens tranquilas, crianças na praia. Para ver os outros grafites na barreira da Cisjordânia clique aqui.

São ao todo 9 pinturas no muro da Cisjordânia. A barreira começou a ser erguida por Israel em 2003 e é motivo de polêmica: o país diz que ela é necessária para conter a infiltração de homens-bomba palestinos. Os palestinos afirmam tratar-se de uma israelense de anexar de vez parte dos territórios ocupados.

É um dos anônimos mais famosos do mundo. Uma pesquisa no Google com seu nome artístico gera mais de cinco milhões de entradas.

Algumas das imagens de Banksy.

Algumas das imagens de Banksy.

Aparecer em público não é com ele (para evitar ser preso, segundo diz). Há quem afirme que seu verdadeiro nome é Robert Banks, ou, ainda, Robin Banks (que em inglês soa como “roubando bancos”).

Uma das pegadinhas de Banksy é colocar, clandestinamente, trotes artísticos em galerias e museus. Foi o que ele fez com a peça chamada Homem Primitivo Vai ao Mercado, no Museu Britânico, em Londres – uma imitação de pintura rupestre, com um um homem das cavernas empurrando um carrinho.

Ele diz que a obra permaneceu exposta por três dias até que alguém se desse conta. O sucesso foi tão grande que a peça foi incorporada ao acervo do museu.

Se a fama “anônima” dá dinheiro? Bom, as obras do artista são bem valorizadas: Um grafite pintado por ele na parede externa de um prédio londrino foi vendido em um leilão no site eBay por US$ 408 mil – ninguém sabe ainda como o comprador vai levar a parede para casa. A capa do álbum da banda britânica Blur, desenhada por Banksy, foi vendida por mais de US$ 560 mil em um leilão. Uma porta-voz do artista disse que ele adulterou 500 cópias do primeiro álbum de Paris Hilton em 48 lojas de discos em várias partes da Grã-Bretanha. E “fez a troca de CDs na loja”, tirando os CDs originais e colocando sua própria versão.Como o código de barras foi mantido, as pessoas podiam comprar os CDs sem perceber que não se tratava do material original.

Nenhum consumidor reclamou ainda do CD ou devolveu a versão alterada do CD de Paris Hilton.

Nenhum consumidor reclamou ainda do CD ou devolveu a versão alterada do CD de Paris Hilton.

Em 2006, ele mudou as fotos da capa dos CDs, para mostrar a socialite com cabeça de cachorro e com seios de fora e trocou os CDs de Hilton por outros com suas próprias remixagens com títulos do tipo: Por que eu sou famoso(a)?, O que eu fiz? ou Para quê eu sirvo?

Anúncios

2 Respostas para “O protesto, a arte e o humor de Banksy

  1. Pingback: Documentário sobre Vik Muniz e Exit Through the Gift Shop de Banksy estão em lista de candidatos a uma indicação ao Oscar « SAIBADESIGN·

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s