SAIBADESIGN entrevista Marcos Cintra: criador da webcomic De(ath)sign

Marcos Cintra, motion designer, é o criador da webcomic De(ath)sign, que mostra o cotidiano de uma produtora e seus clientes. Se você trabalha na área certamente irá se identificar com as situações vividas pelo personagem Marcos: inúmeras refações, imagens em baixa resolução, clientes histéricos etc.

Nessa semana SAIBADESIGN entrevistou Marcos Cintra.

Conte um pouco sobre você e sua profissão.

Ok, vamos ver. Meu nome é Marcos (obviamente), tenho 30 anos, 8 deles trabalhando com Motion Design (que é uma denominação que eu acho horrível mas se eu falo “animador” as pessoas acham que eu trabalho pra Disney). Trabalho em São Paulo, e faço principalmente vídeos culturais, institucionais e video-cenários. Minhas principais armas são o Photoshop, o After Effects e café. Gosto de soluções criativas de direção de arte, animações bem feitas e caminhadas ao luar. Odeio injustiça, desonra e deslealdade, pessoas que nasceram há pouco tempo e não entendem as piadas de desenhos animados dos anos 80, e clientes.

Quando você começou a desenhar?

Provavelmente desde que desenvolvi coordenação motora o bastante pra segurar um giz de cera sem enfiar acidentalmente no olho… Então, desde os 15, 16 anos. Ok, mentira, acho que desenho desde que me conheço por gente, mas peguei mais gosto lá pelos 10, quando comecei a tentar desenhar quadrinhos de super heróis e afins. O grande momento que eu decidi que queria saber desenhar foi quando tentei refazer um desenho de uma constelação que vi no panetário, achei mais bem feito do que eu esperava que conseguisse fazer, e pensei “ei, talverz eu possa ser bom nisso um dia!”. Pobre, pobre tolo.

Liste o top 5 das coisas mais irritantes ou absurdas que você já passou com um cliente.

Hmm, só 5? Pô, aí dificulta, haha! Acho que a maioria já apareceu no DS… Bom, vamo lá!

5- A cliente que me aparece na véspera de um feriado, depois de ter passado uma semana na PQP sem responder telefone ou email, reclamando porque queria “passar o feriado trabalhando em cima do vídeo com a gente”.

4-O cara que manda “storyboards” pro vídeo e fala “é só seguir exatamente o storyboard, mas com total liberdade criativa”, o que significa que não importa o que a gente fizesse, ele tinha uma desculpa pra mudar.

3-Depois de passar um dia selecionando imagens menos piores entre as 350 que vieram do cliente, eles avisam que só é para usar duas específicas q estavam lá no meio. E eram das piores.

2-Fazer um vídeo inteiro em dois dias, correndo, entregar pro cliente, esperar 3 semanas pela resposta e ouvir “ah, a gente nem usou. Na verdade não era nada disso, vamos mudar tudo.”

1-Saga Brandesco.

The Brandesco Saga, parte 9.

The Brandesco Saga, parte 9.

Descreva o cliente perfeito, mesmo sabendo que tal coisa não existe.

Lê o roteiro, entrega o material rapidamente, assiste, aprova e paga. É, é difícil mesmo.

Fale sobre o nascimento da De(ath)sign. De onde surgiu a ideia de uma web comic? Você faz a tirinha sozinho ou isso varia?

Eu já tinha vontade de fazer quadrinhos havia muito tempo; eu e o Igor chegamos a tentar começar uma webcomic a duas mãos, mas acabou não rolando. Aí ele e um outro amigo nosso começaram a fazer o Douglas e Robson (que apareceram no http://www.deathsign.com/21.htm) e postar no fotolog, e eu pensei “pô, eu também posso fazer isso!”. A idéia de fazer piada com as babaquices da clientada já existia meio que mal formada, entre elas a que deu origem à saga da virgem. Aí um dia de madrugada, enquanto esperava um material de fora, eu tive a idéia pro nome e o logo. Fiz no Photoshop, gostei, e resolvi tentar desenhar com  uma tablet velhasca da Wacom que tinha aparecido na época. O resto é história(s).

Qual é o retorno que você está tendo com a De(ath)sign?

Financeiro? Por enquanto nenhum, hahahaha! Mas eu também não quero; o DS é sem fins lucrativos mesmo, acho que eu ia me sentir mal de ganhar algo com ele, ou ia me sentir na obrigação de fazer e ia perder ainda mais a graça. Por outro lado, tenho a satisfação de receber emails de gente de todo tipo e de lugares completamente aleatórios do globo (eu sei que tem fãs no Japão e na Espanha, por exemplo), o que vale mais do que dinheiro! Mas não barras de ouro.

Algum projeto novo da De(ath)sign em relação a videos ou quem sabe até uma edição impressa?

Hmmm, tenho planos pra fazer mais uma animação pra esse ano (espero), e talvez algum episódio mais complexo no futuro, se deixar de ser preguiçoso. Quanto à edição impressa, tem muita gente que me incentiva a fazer, e realmente ia ser legal. O problema seria arranjar um publisher, já que pelo menos na minha opinião, o DS tem um público relativamente restrito; e também como diagramar a bagaça, já que cada tira tem um tamanho diferente. Mas talvez um dia!

Dê um conselho para os designers estressados que lêem o SAIBADESIGN.

Relaxem, façam o melhor trabalho que puderem e tentem na medida do possível fazer algo do qual se orgulhem. Pelo menos na primeira versão – depois, liguem o foda-se e façam a merda que os pulhas querem pra tirar da frente de uma vez!

Anúncios

3 Respostas para “SAIBADESIGN entrevista Marcos Cintra: criador da webcomic De(ath)sign

  1. conheci o deathsign semana passada curti muito, eu sou recem formado em comunicação visual e estou tentando entrar no ramo de design, por isso axo muito interessante as tirinhas parabens marcos! suceso!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s